Tel.: +55 11 5181.0222

Motocicletas: 1º trimestre registra 23% de aumento nas vendas e 32% na produção

Frota brasileira cresceu 409% de 2000 a 2010; São Paulo é o estado com maior número de motos

O setor de Duas Rodas se recupera dos efeitos da crise econômica mundial. Seguindo a tendência dos meses anteriores, março registra leve alta sobre fevereiro, reforçando o crescimento do segmento, que já apresenta números próximos aos alcançados no periódo pré-crise.



Segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela Abraciclo, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, em março as vendas ao mercado interno (atacado) registram aumento de 5% em relação ao mês anterior, alta de 2,5%, em comparação com março de 2010. Por sua vez, a produção apresentou crescimento de 6,1% frente a fevereiro e de 19,7% no comparativo com o mesmo período do ano passado.

"A volta gradativa do crédito e a alternativa das vendas pelo consórcio colaboram para esta recuperação sustentável do mercado de motocicletas. Na comercialização ao consumidor final (emplacamento) já superamos em 2011 os números do período pré-crise, de 2008, uma demonstração da retomada de crescimento do setor", afirma o presidente da Abraciclo, Jaime Teruo Matsui.

Trimestre e Projeções
A alta do mês de março puxou o resultado do acumulado do ano. As vendas apresentaram crescimento de 22,8% acima do registrado no primeiro trimestre de 2010, e a produção, com 533.082 unidades fabricadas, subiu 32,6% nos primeiros três meses de 2011.

"Nota-se um crescimento animador nesse período, o que estimula o mercado e mantém nossas expectativas quanto às projeções", comenta Matsui.

A Abraciclo prevê para este ano a comercialização de 2.000.000 de motocicletas no interno, o que representa crescimento de 9,5% em relação a 2010. A produção deve avançar 13,3% em 2011, com 2.060.000 unidades fabricadas.

Exportações em queda
Em março, as exportações apresentaram queda de 7,1%, em relação a fevereiro. No comparativo com o mesmo período do ano passado, a baixa é de 33%. Foram vendidas ao mercado externo 4.607 unidades no mês passado e 13.170 motocicletas no acumulado de janeiro a março, o que representa recuo de 87% no período.

A Abraciclo acredita que as vendas externas não devem ter grande representatividade em 2011. A entidade prevê um recuo nas exportações de 14,29%, passando das 70.000 unidades vendidas para o exterior, em 2010, para 60.000 unidades neste ano.

"Nossas estimativas apontam que o dólar deve manter-se no ano de 2011 no mesmo patamar de 2010, o que não colabora com as exportações", conclui Matsui.

Frota Nacional
Segundo a entidade, a frota brasileira de motocicletas cresceu 409% de 2000 a 2010. O Nordeste é a região que, atualmente, apresenta o maior crescimento, com expansão de 540% no número de motociclos na última década. Porém, o Sudeste ainda é a região com o maior número de motocicletas em circulação, respondendo por 41% da frota nacional (6.796.229), com expansão de 340% no período.

Se considerarmos os estados isoladamente, São Paulo, com 24% da frota do país, lidera a lista, seguido de Minas Gerais, que representa 11% deste total, com 1.866.148 motocicletas, e Paraná, em terceiro lugar, com 1.071.174 veículos, o que equivale a 6% do total.

"Na maioria das grandes cidades, 40% dos consumidores usam a motocicleta para substituir o transporte coletivo", afirma o presidente da Abraciclo.

Produtos Verdes ganham espaço
Adaptando-se aos novos mercados e à sustentabilidade, associados da Abraciclo investem em "PRODUTOS VERDES", apresentando ao consumidor modelos bicombustíveis (flex) e motocicletas elétricas.

"Essas novas tecnologias já são uma realidade e a tendência é que cresçam proporcionalmente em relação ao mercado, assim como ocorreu com os automóveis flex. Para se ter uma ideia, em 2010, as motocicletas flex representam 18% da produção. No primeiro trimestre de 2011, elas já representam 44% do total fabricado" conclui Matsui.

JoomShaper