Tel.: +55 11 5181.0222

Produção e venda de motocicletas apresentam ligeira queda em maio

As associadas à Abraciclo fabricaram 147.929 unidades, 4,4% a menos que em abril, e comercializaram no atacado 149.605 motocicletas,
correspondendo a uma redução de 6,1%

Em maio, a produção nacional de motocicletas apresentou ligeira retração de 4,4%, em relação ao mês anterior, totalizando 147.929 unidades contra 154.670, de acordo com levantamento realizado pela ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares. Sobre maio do ano passado, quando foram produzidas 171.734 motocicletas, a redução foi de 13,9%. Já no acumulado do ano, a queda foi mais acentuada, de 17,3%, com um total de 684.307 unidades ante 826.976, de igual período de 2012.



As vendas no atacado também retraíram em maio, ficando 6,1% abaixo do volume registrado em abril, com 149.605 motocicletas contra 159.286. Em relação a maio de 2012, quando foram comercializadas para a rede 151.316 unidades, as vendas permaneceram praticamente estáveis, com pequena redução de 1,1%. No volume acumulado de janeiro a maio, houve queda de 11% na comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando 674.969 unidades ante 758.417.

As quedas registradas na produção e no atacado, são reflexo do ritmo de vendas no varejo, que neste mês ficaram 7,6% abaixo do registrado no mês anterior, com 130.201 unidades contra 140.878. Sobre maio do ano passado, a redução foi de 13,1%. As vendas acumuladas ao consumidor de 2013 em relação a 2012 reduziram 14%, com 623.239 unidades contra 724.584.

“Os volumes ainda permanecem abaixo dos registrados em 2012, mas a queda nos últimos dois meses está menos acentuada que no 1º trimestre do ano. A oferta de crédito, para aquisição de motocicletas aos nossos consumidores continua restrita, mas está estável. A expectativa do setor é de recuperação gradativa a partir do segundo semestre”, comenta Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

As exportações de maio somaram 4.105 motocicletas, representando queda de 58,8% em relação a abril, com 9.975 unidades. Na comparação com maio de 2012, quando foram exportadas 10.238 unidades, houve redução de 59,9%. No acumulado de janeiro a maio, a retração foi menos acentuada, de 11,8%, totalizando 36.629 unidades ante 41.515, de 2012.
Bicicletas – Desempenho no Quadrimestre
No segmento de bicicletas, dados da Abraciclo apontam que a produção no Polo Industrial de Manaus (PIM) registrou pequena elevação de 1,3% em abril, na comparação com março, passando de 63.699 unidades para 64.476. Em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram produzidas 68.451 bicicletas, houve queda de 5,8%. No acumulado do primeiro quadrimestre de 2013, o volume ficou 18,2% abaixo do contabilizado no mesmo período de 2012, com 230.541 unidades contra 281.888.

As vendas no atacado subiram 27,5% de março para abril, passando de 48.295 bicicletas para 61.576. Sobre abril do ano passado, com 62.938 unidades, houve queda de 2,2%. Na comparação do primeiro quadrimestre deste ano com igual período de 2012, as vendas foram 20,2% menores, totalizando 196.332 bicicletas contra 246.121.

O volume total de importações de bicicletas no Brasil, durante o primeiro quadrimestre do ano, foi de 94.133 unidades, correspondendo a uma redução de 13,7% sobre o mesmo período de 2012, com 109.025 bicicletas. Na comparação entre abril e março de 2013, houve alta de 62,9%, passando de 15.530 para 25.293 unidades. Em relação a abril do ano passado, com 16.552 bicicletas, o aumento foi de 52,8%.

Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas
Com 37 anos de história e 13 associadas, a ABRACICLO - Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - representa, no país, os interesses dos fabricantes de transporte em Duas Rodas, além de investir fortemente em ações que tenham por objetivo a busca pela paz no trânsito e pilotagem defensiva.

Representativa, a fabricação nacional de motocicletas - majoritariamente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM) - está entre as cinco maiores do mundo. Já no segmento de bicicletas, o Brasil se encontra na terceira posição entre os principais produtores mundiais. No total, o Setor de Duas Rodas gera em suas indústrias cerca de 20 mil empregos diretos.

JoomShaper