Tel.: +55 11 5181.0222

Indústria de Motocicletas Produz Mais de 91 mil Unidades em Julho

Número comprova a recuperação do setor, que mantém crescimento desde o segundo semestre do ano passado

A indústria de motocicletas mantém o seu ritmo de crescimento. De acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, em julho foram produzidas no Polo Industrial de Manaus (PIM) 91.713 motocicletas, representando alta de 34,6% na comparação com o mês anterior (68.121 unidades).

 Na comparação com julho de 2018, a produção caiu 4,8% (96.338 unidades). Esse desempenho não alterou a curva ascendente das fabricantes do PIM. De janeiro a julho, foram produzidas 628.818 unidades, volume 6,3% superior ao registrado no mesmo período do ano passado (591.753 unidades). 

Na avaliação de Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, a recuperação do setor continua a ser impulsionada pela renovação da frota e, principalmente, pela maior oferta de crédito. “Isso impacta diretamente a cadeia produtiva. Hoje cerca de 70% das vendas de motocicletas são financiadas via CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e pelo Consórcio”, afirma. “Aliado a isso, a motocicleta é uma alternativa viável de transporte para a maioria dos consumidores, graças ao menor custo de manutenção e ao baixo consumo de combustível ”, explica.

VENDAS NO ATACADO

Em julho, as vendas no atacado somaram 87.240 unidades, aumento de 21% na comparação com junho (72.121 unidades) e queda 1,7% no mesmo período do ano passado (88.754).

No acumulado do ano, as fábricas repassaram para as concessionárias 616.133 motocicletas, o que corresponde a um crescimento de 14,1% ante as 539.945 registradas no mesmo período de 2018.

EMPLACAMENTOS

Segundo levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) analisado pela Abraciclo, em julho houve emplacamento de 90.048 motocicletas, correspondendo a um aumento de 18,1% na comparação com o mesmo mês de 2018 (76.226 unidades) e de 12,5% em relação a junho (80.023 motocicletas).

Ainda segundo dados do Renavam, nos sete primeiros meses de 2019 foram emplacadas 620.082 motocicletas, volume 16,3% superior às 532.955 unidades licenciadas no mesmo período do ano passado.

Com 23 dias úteis, a média diária de vendas de julho foi de 3.915 unidades. Segundo dados analisados pela Abraciclo, é o melhor resultado para o mês desde 2015 (4.684 unidades/dia). Esse desempenho foi 13% superior ao registrado no mesmo mês de 2018 (3.465 unidades/dia, com 22 dias úteis) e 7,1% menor ao alcançado em junho deste ano (4.212 unidades/dia, com 19 dias úteis).

EXPORTAÇÕES

Em julho foram embarcadas 2.788 unidades para o exterior. De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os volumes de embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, a Argentina é o maior parceiro comercial, com 1.318 e 45,2% de participação no total exportado. Na sequência, estão os Estados Unidos (880 e 30,2%) e a Colômbia (358 e 12,3%).

No acumulado do ano, as exportações somaram 23.180 unidades, o que representa queda de 49,9% em relação ao mesmo período de 2018 (46.258 motocicletas). Ainda de acordo com dados do Comex Stat, de janeiro a julho foram embarcadas 11.632 motocicletas (48,6% de participação) para Argentina. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar (4.313 e 18%), seguidos pela Colômbia (2.953 e 12,3%).

DESEMPENHO POR CATEGORIA NO ATACADO

Em julho, a Street foi a categoria de motocicleta mais vendida no Brasil, com 45.009 unidades (51,6% de participação). Na sequência ficaram a Trail (18.228 e 20,9%), Motoneta (11.115 e 12,7%) Scooter (7.595 e 8,7%) e Naked (1.997 e 2,3%).

As posições foram mantidas no ranking que mostra o desempenho de vendas nos sete primeiros meses de 2019: Street (310.258 e 50,4%), Trail (120.798 e 19,6%); Motoneta (91.526 e 14,9%), Scooter (53.485 e 8,7%); e Naked (14.610 e 2,4%). 

As características básicas das motocicletas de cada categoria são estas:

 Street – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso urbano.

 Trail – Motocicleta de baixa ou média cilindrada destinada ao uso misto, tanto em vias pavimentadas quanto em terreno não pavimentado.

 Motoneta – motociclo underbone, destinado ao uso urbano, de baixa cilindrada e dotado de câmbio automático ou semiautomático.

 Scooter– Motociclo de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto. 

 – Motocicleta sem carenagem, com motor propositalmente exposto e de alto desempenho, concebida para a utilização em terrenos pavimentados. Semelhante a uma motocicleta versão “Sport” sem a carenagem.

Big Trail – Motocicleta de média ou alta cilindrada destinada ao uso misto em terrenos pavimentados e não pavimentados.

Off-Road – Motocicleta de qualquer cilindrada destinada exclusivamente à utilização em pisos não pavimentados.

 Custom Motocicleta caracterizada por sua vocação para percursos de estrada, destacadamente os mais longos, chamadas de “estradeiras”, que não priorizamvelocidade e, sim, conforto.

 Sport Motocicletas de cilindradas médias ou superiores com carenagem que privilegia a aerodinâmica e o alto desempenho.

 Ciclomotor Veículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna, cuja cilindrada não exceda a 50 cm³.

 Touring Motocicletas usualmente de alta cilindrada concebidas para utilização em turismo e viagens de grandes distâncias.

DESEMPENHO DE SCOOTERS NO VAREJO

De acordo com dados do Renavam analisados pela Abraciclo, em julho o volume de Scooter comercializado no varejo somou 8.011 unidades, aumento de 55% na comparação ao mesmo mês de 2018 (5.170 unidades) e de 11,3% em relação a junho passado (7.195 unidades).

Nos sete primeiros meses de 2019, os emplacamentos de motocicletas da categoria Scooter atingiram 50.789 unidades, o que corresponde a uma alta de 28% ante as 39.693 unidades licenciadas no mesmo período do ano passado.

Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas

Com 43 anos de história e contando com 14 associadas, a ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – representa, no País, os interesses dos fabricantes de veículos de duas rodas, além de investir em ações visando a paz no trânsito e a prática da pilotagem segura. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as oito maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição dos principais produtores mundiais. No total as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram mais de 12 mil empregos diretos.

MOTOCICLETAS*

BICICLETAS*

Frota nacional: acima de 27 milhões
de unidades

Frota nacional: mais de 70 milhões
de unidades

Produção anual: acima de 1 milhão de unidades

Produção anual: 2,5 milhões
de unidades**

8º maior produtor mundial

4º maior produtor mundial

(*) Dados do fechamento de 2018.
(**) Excluídas as bicicletas infantis, classificadas como brinquedos.

Para mais informações acesse o site

www.abraciclo.com.br

SD&PRESS Consultoria

(11) 3876-4070; www.sdpress.com.br; @sdpress; facebook.com/sdpress

Aline Feltrin

 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Analuiza Tamura          

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Priscila Fabi      

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

AGOSTO, 2019

JoomShaper