Tel.: +55 11 5181.0222

Ruas e avenidas ganham mais motos e mercado fica aquecido

Com ou sem crise lojas de peças e acessórios tem movimento sempre crescente uma vez que na Grande Fortaleza e no Interior a exemplo do que acontece em todo o Brasil as motos circulam a cada dia em número mais elevado

As facilidades de finanmento a fartura de opções consórcios e baixas prestações deixam a comerciali- zação de motociclistas cada vez mais aquecida em cidades como Caucaia Fortaleza Maracanaú São Gonçalo do Amarante e por exemplo Eusébio. Seja no litoral na serra no sertão ou na cidade a moto faz parte do nosso cotidiano e retrata um segmento da econo- mia que não tem queixas sobre crise ou retratação de vendas. Isso no presente.

O passado recente teve difícul- dades mas os contratempos estão apenas na lembrança. As revendas fazem a festa e os fabricantes comemoram Poucos setores da economia foram tão castigados pela crise dos últimos anos quanto o de motocicletas. Apenas para di- mensionar o tamanho da queda livre as vendas despencaram de 951 mil unidades no primeiro semestre de 2008 para 4272 mil motos no primeiro semestre de 2017.

A boa notícia é que essa situ- ação a julgar pelos números mais recentes é apenas uma imagem no retrovisor. Os mais recentes levantamento do setor mostram um novo caminho: desde o início de 2018 depois de sete anos de quedas consecutivas a indústria de duas rodas só acelera.

De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocidetas Ciclomotores Motonetas Bicicletas e Similares (Abraciclo) as vendas de motos no atacado no primeiro semestre do ano totalizaram 45131 unidades crescimento de 122% em relação ao mesmo período de 2017.

O resultado só não foi melhor porque a greve dos caminhoneiros prejudicou o abastecimento de pecas às montadoras e o transporte das motos até as concessionárias. Com um mercado mais aquecido e com a alta dos preços da gasolina que subiu 457% nas refinarias desde fevereiro a Abraciclo revisou suas projeções para o ano em razão das vendas acima do esperado.

A expectativa de produção que era de 935 mil unidades até julho passou para 980 mil motos atualmente. Novos números deverão ser anunciados nas próximas semanas segundo a associação.

Se o balanço de vendas já é positivo o de produção é ainda mais animador. Pelos cálculos da entidade a produção alcançou 963 mil unidades em julho tornando-se o segundo melhor mês do ano e com crescimento de 921% sobre o mês anterior.

 

FONTE: Grande Porto - Fortaleza - CE

DATA: 12/09/2018

JoomShaper