Tel.: +55 11 5181.0222

Otimismo vem em duas rodas na indústria

O desempenho positivo na fabricação de motocicletas do PIM (Pólo Industrial de Manaus) registrou em agosto 105,336 mil unidades, um maior volume desde outubro de 2015 quando foram produzidas 104,338 mil motocicletas. O volume foi 9,4% maior se comparado a julho com mais de 96 mil unidades e 31,4% acima do produzido no ano passado, que registrou 80 mil. Os dados foram divulgados pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).

José Eduardo, diretor executivo da Abraciclo afirmou que a performance positiva do setor sobre julho, reflete na clara tendência de crescimento dos negócios nesse segundo semestre.

Em função dos resultados apresentados, o diretor prevê que o mercado de motocicletas feche o ano com um crescimento em torno de 11% em relação ao ano passado. "Nós estamos falando de um mercado em torno de 980 mil unidades em 2018, portanto nós estamos aproximando da referência que é um milhão de unidades vendidas por ano e esse é um quadro bastante animador", comemorou José Eduardo, que avalia um cenário otimista e estimulante para o segmento.

"Embora tenha ocorrido incertezas do quadro político e uma movimentação típica de um ano eleitoral, 2018 pode ser considerado um ano da retomada com negócios com motocicletas no Brasil. Poderemos ter em 2019 um movimento muito forte em termos de evolução do mercado no Brasil", destacou.

Oportunidades

O presidente da Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Wilson Périco falou que se Estado tivesse melhor infraestrutura se não fosse fortemente tributado, a competitividade seria muito maior e a capital desenvolveria mais oportunidades.

"A indústria amazonense é o motor da economia e os segmentos de duas rodas e eletroeletrônicos representam alta potência para o faturamento da nossa indústria e pela grande geração de empregos", disse o presidente.

Embora tenha o que comemorar, o presidente avalia que não podemos permitir que, por conta de um resultado positivo, nossos problemas sejam esquecidos. "Ainda estamos muito limitados quando pensamos na questão logística do Estado. A falta de infraestrutura nas vias do Distrito Industrial, nos Portos e a BR-319, são condições básicas para a atração de investimentos para continuarmos crescendo e contribuindo com a região e com o País", lembrou.

Desempenho

"O desempenho do consórcio e a maior oferta de crédito são os destaques para o resultado expressivo. Devemos lembrar que apesar das incertezas de um ano complicado o setor cresceu,", disse o vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo.

Nelson Azevedo citou ainda o desempenho ainda maior da setor de bikes 35% em relação ao mesmo mês de 2017. "O comportamento da categoria demonstra estabilidade da economia. No Amazonas, essa reação causa melhores efeitos porque o polo está concentrado aqui. E quando a o quadro político for definido, a estabilidade, a segurança jurídica, os investimentos voltam a melhorar", enfatizou.

Para ele a roda da economia está girando de forma positiva, os resultados estão aparecendo. A tendência é melhorar com um ano de 2019 ainda mais próspero.

Dados

No acumulado do ano foram produzidas 696,297 mil unidades, com alta de 21% sobre o mesmo período do ano passado.

O bom desempenho fez a Abraciclo revisar recentemente para cima a projeção em relação ao volume de produção esperado para este ano, passando de 935 mil para 980 mil unidades, o que significa um crescimento de 11% em 2018, na comparação com o ano passado. Pela previsão inicial a produção cresceria apenas 5,9%.

Atacado

No atacado, os resultados em base mensal e anual não foram diferentes. As vendas subiram 7,0% no mês passado, com quase 100 mil motos enviadas às concessionárias ante julho. Em relação a agosto de 2017, o avanço foi de 30,5%.

Quanto aos licenciamentos, houve altas mensal e anual, de 16,6% e de 16,5% respectivamente, de quase 89 mil motocicletas registradas pelo Renavam. As exportações, fecharam agosto com a venda de 7.500 mil unidades.

Categorias

As categorias mais comercializadas em agosto foram Street, que lidera o ranking com 49,2% de participação (46.745 unidades); a Trail, com 21,7% (20.595); e a Motoneta, com 15,3% (14.575). Na sequência, vieram Scooter, com 7,8% (7.431), e Naked, com 2,1% (1.995 unidades).

 

FONTE: Jornal do Commercio - Manaus - AM

DATA: 20/09/2018

JoomShaper