Tel.: +55 11 5181.0222

Reforma preocupa polo de ‘duas rodas’

Manaus – Em meio a discussão da reforma tributária no Congresso Nacional com propostas que ameaçam o Polo Industrial de Manaus, como a unificação de impostos e a redução de subsídios para a indústria local, o presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas e Bicicletas (Abraciclo), Marcos Fermanian, defende a manutenção das vantagens comparativas na Zona Franca de Manaus.

“O Polo Industrial (de Manaus) está, há muito tempo, consolidado e vem contribuído de forma significativa para o crescimento da indústria brasileira. No nosso caso, de duas rodas, toda as nossas fábricas estão concentradas lá (em Manaus), 98% das Motos emplacadas em todo o País são das marcas sediadas na capital do Amazonas. Muitas delas, praticamente, desde o início do Polo Industrial de Manaus”, afirmou.
Fermanian disse que a reforma pode afetar mais de 400 mil empregos em todo o País, se não garantir a manutenção do polo de Manaus (Foto: Divulgação/Abraciclo)
O presidente da Abraciclo destacou que o setor mantém mais de 13 mil empregos diretos e mais e 400 mil funcionários em toda a cadeia produtiva, ao se considerar redes de fornecedores em todo o País além da rede concessionária que tem mais de 1.700 pontos. “Uma reforma tributária que deixe de fora as características da Zona Franca pode impactar, de forma brutal a nossa indústria e também toda esta cadeia produtiva espalhada em todo o País”, disse.
Ainda segundo Fermanian, a Abraciclo tem encaminhado um trabalho de conscientização a respeito do impacto positivo que as indústrias do Polo Industrial de Manaus tem apresentado. “Os riscos de perdermos isto, do dia para a noite, pode ter um, efeito danoso, não só para perda da nossa capacidade produtiva do País, mas, principalmente, de postos de trabalho. Certamente, isto teria um efeito desastroso para o Amazonas, mas também para todo o Brasil. Como eu disse, a gente tem 1.700 pontos de vendas das nossas concessionárias e também de fornecedores, não só sediados em Manaus, mas espalhados em todo o País”, frisou.
O presidente da Abraciclo completa afirmando que “um corte abrupto do processo produtivo de nosso fornecedores poderia ter um impacto extremamente maléfico para nosso País”.
Fermanian reconheceu o esforço dos parlamentares do Amazonas para manter as vantagens comparativas da Zona Franca. “O Amazonas tem representantes na Câmara Federal e no Senado que tem levado estudos bastante interessantes sobre quanto é importante manter ou considerar a Zona Franca como exceção, qualquer que seja o projeto sobre a reforma tributária”, frisou.

 

FONTE: D24am - AM
DATA: 24/11/2019

JoomShaper