Tel.: +55 11 5181.0222

Mesmo com queda nas exportações, produções de motos e bikes crescem no Brasil

A produção de motos deste ano já superou todo volume de motocicletas produzidas em 2018. Trinta dias antes de encerrar 2019, as fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM), que concentra quase toda fabricação no Brasil, alcançaram a marca de mais de 1 milhão de motos fabricadas. A quantidade representa crescimento de 7,2%. A produção de bicicletas também ultrapassou a projeção anual para este ano. Com indicadores positivos, as projeções do Setor de Duas Rodas para 2019 e 2020 foram mantidas.

Confira os indicadores apresentados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) nesta quarta-feira (11):

Somente no último mês de novembro 93.128 motos saíram das linhas de montagem do PIM. Esse volume representa uma alta de 3,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 90.108 unidades foram fabricadas.

O 1º vice-presidente da Abraciclo, Hilário Kobayashi, avaliou que três fatores estão diretamente associados ao aumento da produção de motos no país.

– Um é aumento da oferta de crédito. Isso facilita a aquisição de motocicletas por parte do consumidor. O segundo fator seria vantagem do uso da motocicleta na mobilidade urbana, tando na flexibilidade oferecidas pelo veículo, temos o melhor consumo de combustíveis, temos o baixo custo de manutenção. O terceiro fator seria os investimentos que os fabricantes estão fazendo em relação a modernização do nosso produto, recorrendo aos avanços tecnológicos para melhoria da eficiência e ter um designer arrojado e moderno . Tudo isso estimula o consumidor a adquirir a motocicleta – explica Kobayashi.
 
Já no comparativo com outubro, novembro registrou queda de produção de 14,7% (109.118 motos fabricadas em outubro de 2019). Essa redução é atribuída número de dias úteis do mês que impactam no volume de motos produzidas.

Vendas

As vendas de motos no atacado, ou seja, das fabricantes para concessionárias, totalizaram 1.012.967 unidades de janeiro a novembro. Houve um crescimento de 13,7% em relação ao mesmo período de 2018, quando 890.737 motos foram novas foram vendidas.

Em novembro, as vendas no atacado somaram 94.358 motos, correspondendo um aumento de 8,3% diante do mesmo mês do ano passado (87.136 unidades). Porém, houve um recuo de 8% no comparativo com outubro deste ano, quando 102.545 motos foram vendidas no atacado.

Exportação continua em queda

Enquanto as vendas e a produção de motos no mercado nacional registram resultados positivos, as exportações dos veículos de duas rodas continuam em queda expressiva, puxada pela crise na Argentina, principal país importador de motos do Brasil.

Os números são expressivos e apontam uma queda contínua. O acumulado de janeiro a novembro deste ano somente 35.560 motos foram enviadas para mercador exterior. A queda das exportações atingiu o percentual de 45,3%. Foram 65.062 motos exportadas no acumulado do mesmo período do ano passado, ou seja, uma diferença de 29.502 unidades a menos.

Principais mercados de exportação de motos do Brasil:

Argentina: 47% do mercado com 16.974 motos até novembro;

Estados Unidos: 18,9% do mercado com 6.802 motos até novembro;

Colômbia: 14,4% do mercado com 5.208 motos até novembro;

Novembro fechou com 3.276 motocicletas exportadas e com queda de 8,3% na comparação com mesmo mês de 2018 e um crescimento de 4,1% ao mês de outubro deste ano. Foram exportadas 3.148 motos em novembro.

– Sempre tivemos os Estados Unidos como um dos mais fortes destinos de exportação, eles são os nossos principais consumidores de modelos off-road, de competição, esse ranking sempre mantém entre os cinco primeiros. Nesse momento está tendo esse destaque em função da redução do volume da Argentina – comenta o 1º vice-presidente da Abraciclo.

Projeções

A Abraciclo manteve as projeções anunciadas no Salão Duas Rodas. A produção em 2020 deverá alcançar 1.175.000 motos. Um volume 6,3% maior ao esperado para este ano: 1.105.000 unidades.

Bikes: produção e vendas em alta

Entre os meses de janeiro e novembro deste ano 899.177 bicicletas foram produzidas nas fábricas no Polo Industrial de Manaus. Esse volume representa alta de 19,6% em relação mesmo período do ano passado.

Segundo o vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo, Cyro Gazola, houve uma alta demanda no mercado interno que os números de produção e vendas superassem as expectativas mesmo antes do término de 2019.

– O segmento de bicicletas pelo segundo ano consecutivo deu continuidade de aceleração de produção e vendas para todo o Brasil. Um crescimento nesse momento chega a quase 20%. Isso não foi só através de investimentos de infraestrutura, automação, tecnologia e processos, nós também ampliamos um pouco nossa base de contratações similar a motos. Isso foi uma realidade para todas as indústrias no Polo Industrial de Manaus este ano e vemos isso como crucial para dá continuidade – afirma Gazola.

Nos últimos sete anos 200 milhões de reais foram investidos pelas fabricantes de bikes e nos próximos anos são esperados R$ 40 milhões em investimentos no segmento.

– Os R$ 40 milhões estão galgados em todas as quatro empresas sobre investimentos em maquinário, automação e melhorias de processos também. É capital e ampliação de capacidade produtiva que está acontecendo nas indústrias nesse momento para dá vazão – destaca o vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo.

 


FONTE: Brasil Hoje - AM

DATA: 12/12/2019

JoomShaper